10:00 da manhã, e me chega ele.
Mais um cliente chato, cantando para mim sua vida de merda. Merda!
Aqueles ovos com batata doce do café não me caíram bem. Merda, que vontade de cagar!
O mundo é ruim.-Ele me diz.
As chamas ardentes da paixão.-Ele me conta.
Cara Chato!



10:40, contorço-me no sofá, tentando entender o que ele diz.
Ele diz algo sobre seus medos e ventos frios em sua alma.
Quase não ouço, preocupo-me apenas com minha necessidade.
Tremula e suando frio, tento anotar algo sobre seu triste espírito de sofredor.
Ufa, preciso ir ao banheiro!



Minha barriga treme, mas preciso manter a pose!
Olho para o sujeito já sentindo desprezo, o cara é um mala!Mais um viadinho egoísta no divã.
As fezes estão querendo sair, que situação!
Sinto uma pontada, são as batatas querendo voltar ao mundo!
Agora ele começa a chorar!Tô muito fodida!



Puta, que otário.
Quem mandou eu ter uma profissão de merda, terapeuta de maluco,agora eu aqui, pobre e com vontade de cagar.
Tento não pensar na palavra merda, mas é difícil!
Ele fala da ex mulher, quase digo um belo foda-se.
Seria lindo, mas não posso!



Mantenho-me firme, 10:50, ele me pergunta o que achei.
Essa é a minha hora!
Digo que vou pegar um calmante no armário, mas mudo minha rota para o banheiro.
Cago tudo!As batatas, os ovos e mais algum grão de milho que eu não lembro de onde comi.
Alívio!



Volto mais leve, quase com vontade de ouvi-lo!
Bom, fim de sessão!
_Toma, aqui estão seus calmantes sr. Inácio!Te vejo na próxima consulta.
Ele pega as amostras e sai feliz!
Posso dizer que também sou mais feliz agora!
Acho que a receita da felicidade é cagar na hora certa.