Quem poderia imaginar...
Ele me recepcionou neste mundo.
Espreitou momentos íntimos meus.
Dia e noite pulsou para me despertar para a vida.

Que ironia: acreditei na eternidade.
Ele alertava! Não deixe sua vida parar.
Impulsionando-me para o amanhã, sempre.
Intimo: dentro do meu quarto, no trabalho e nos momentos de lazer.
Presenciou risos e instantes que só me restava chorar

Ele, o amigo controlador, inseparável.
Mostrava-me que tudo se transformava em segundos.
Vaidoso - ora vestido em aço, ora em titânio.
Ensinando a força de um querer...

Fez me correr para ganhar e não perder a ida.
Agora, friamente diz que se encerrou o meu tempo.
Na vida tudo tem hora marcada.
Meus ponteiros estão ficando sem movimento: sem vida.

Não sei se choro ou começo a rir.
Sabendo que ele continuará pela eternidade...