Protesto contra a impossibilidade de protestar.
Se reclamar do imposto da policia vou apanhar.
O motorista louco me bate no trânsito.
Se reclamar; ele pode me matar...

Alguém pratica em mim o verbo furtar.
Pra quem devo reclamar?
Décadas pagando um seguro social.
E o meu dinheiro e direito expiraram-se no natal.

Que direitos tenho nessa sociedade tão forte.
Quando solto a voz, recebo pena de morte.
Vence o mais forte. Aquele capaz...
Capaz de mandar o capataz...

Quero crer na possibilidade de protesto.
Mas quando abro a carteira do progresso.
Meu bolso vazio diz;
Vá pra casa – durma e curta o recesso.

Porque se sair na avenida.
Terá que tomar cuidado com o manifesto