Em uma tarde de sábado

30 de Maio de 2014 Giulia Sadi Prosa Poética 380

Em um sábado à tarde eu pego um livro de romance e coloco as músicas mais piegas o possível para tocar. Bem, todos já sabemos como isso vai acabar. Me ponho a ler pela terceira vez o livro que você me deu, e a cada linha dessa história é como se você ressurgisse ao meu lado, como em um sonho bom. E eu revivo tudo de novo, cada minuto de nós dois e assim também imagino um futuro improvável, porém perfeito. Me pergunto como estaria você e se sente o mesmo que eu, mas acredito que não. Quando me dou conta uma lágrima rola pelo meu rosto, que idiota da minha parte.


Leia também
LUTA ARMADA há 2 horas

LUTA ARMADA Aqueles tidos como imprescindíveis Pelo afã de lutar toda...
ricardoc Sonetos 4


Paz Celestial há 13 horas

Paz na alma é muito mais Do que paz de mente... pois passa desta par...
kuryos Artigos 11


Poema Rosa Para um Dia de Sol há 1 dia

A Rosa Emília A Rosa que an...
a_j_cardiais Poesias 52


Poema Suado há 1 dia

Estou num deserto de inspiração... Nada passa por aqui... Nem ladrão. ...
a_j_cardiais Poesias 44


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 19


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há 1 dia

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 12