Quando eu morrer

08 de Junho de 2014 Pimposo Prosa Poética 382

Quando eu morrer

Espero ter ido em paz

Agradeço quem tentou me socorrer

Mas foi tarde demais

Quando eu morrer

Quero que vistam branco

Quero um velório simples

Sem nenhum encanto

Quando eu morrer 

Se lembrem do que eu fiz de bom

Apesar de ter errado muito 

Tinha a felicidade como um dom 

Quando eu morrer, Fiquem tranquilos

Não se apressar, sem correr

Carrego tudo o que há de bom comigo

Mas não deixem só para me fazer o bem quando eu morrer

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Minha essência é a eternidade. há 9 horas

Manhã cinza dia tão estranho e ruim, Paira no ar uma sensação de fraca...
elisergio Sonetos 6


LAMPEJOS há 10 horas

LAMPEJOS Eu pouco a pouco volto à realidade. Ao acordar, lamento antes...
ricardoc Sonetos 7


Deixe Esse Amor Crescer há 1 dia

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 37


Ás palavras não são mais meu legado. há 1 dia

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 8


Não há o que comemorar. há 1 dia

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 7


A vida depois daqui! há 1 dia

Ver que a morte não é o fim, é o início! Disse-me com amor chamando de...
elisergio Sonetos 9