Enem – 2005
Tema – O Trabalho Infantil Na Realidade Brasileira

Onde estão às maiores taxas de trabalho infantil também estão às piores taxas de desenvolvimento educacional e distribuição de renda. O trabalho infantil brasileiro é um problema secular fomentado pela ausência de um plano de nação.
O nordeste apresenta 42% de suas crianças no trabalho escravo, a pior educação do país, estado do Alagoas segundo o ENADE (Exame Nacional de Desenvolvimento Educacional do Ensino Básico), e ainda, em Macaé-Natal, uma distribuição de renda de 300R$ per capita em um país com PIB (Produto Interno Bruto) acima de um trilhão segundo Enciclopédia Abril 2011, gerando assim todo um contexto favorável ao trabalho infantil tendo em vista que muitos pais preferem seus filhos trabalhando junto com eles na lavoura de cana, por exemplo, do que expostos a marginalidade. Carregamos este fardo de um processo de colonização com base no Plantation que se utilizou muito desta região e depois a deixou ao descaso com a interiorização deste modelo econômico voltado para metrópole portuguesa. A transição para a independência do Brasil e a culminação de uma República na significou a independência de um projeto de nação que, influenciado pelo mundo ocidental deixou sérias lacunas sociais ao seu contexto.
Mas não é só no passado que obtemos respostas a essa anátema brasileira, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) foi uma grande conquista e ele juntos às famílias e os atores sociais devem ajudar neste processo que é um plano da nação.
Vislumbrar o ontem, encarar o hoje para planejar um amanhã. O Brasil pode sim, podemos.