George Stevens é um dos maiores cineastas da história do cinema. Dono de um estilo irretocável e reconhecível, o diretor invariavelmente utilizava-se de narrativas simples a fim de desenvolver temas universais e de caráter abrangente, auxiliado ainda por personagens complexos e fascinantes, sendo um desses personagens o inesquecível Shane, interpretado pelo ótimo Alan Ladd no filme homônimo dirigido por Stevens e que aqui no Brasil ganhou a horrorosa e simplista tradução Os Brutos Também Amam, optando, neste sentido, em focar na subliminar relação de Shane com Marian (Jean Arthur), quando na verdade o filme tinha muito mais do que isso para oferecer.

Leia mais: http://bau-de-resenhas.webnode.com/news/os-brutos-tambem-amam/