Uma das principais reclamações dos cinéfilos no que tange à remakes diz respeito à forma desrespeitosa com que os produtores tratam as obras originais, desvirtuando-as a fim de dar conta de necessidades mercadológicas meramente superficiais e supérfluas. Entretanto, há aquelas que conseguem sair-se melhor do que as originais justamente por explorar aspectos – técnicos ou narrativos – que as obras anteriores claramente eram inferiores. Há, contudo um terceiro tipo de remake que consegue se colocar num ponto de equilíbrio entre ambos os aspectos acima mencionados, sintetizando a obra original num longa de duração menor sem contudo se mostrar inferior, mas à altura do filme que o inspirou, como é o caso aqui do ótimo Sete Homens e um Destino e de seu antecessor, a obra-prima japonesa Os Sete Samurais, do mestre Akira Kurosawa.Leia mais: http://bau-de-resenhas.webnode.com/news/sete-homens-e-um-destino/