Quem não se lembra  da primeira cena deste filme? Do rosto encarando o espectador enquanto um zoom out vai revelando quatro jovens num ambiente estranho e distópico? E da narração em off que o acompanha, sobretudo o linguajar incomum que adota?



Este é o cartão de visitas de Laranja Mecânica filme produzido, adaptado e dirigido por Stanley Kubrick a partir da obra de Anthony Burgess, que em 1962 havia lançado o livro que contava a história do jovem Alex de Large, líder de uma gangue de adolescentes praticantes da ultraviolência – espancamento, estupro e assassinato – sendo este último o motivo de levar Alex à prisão onde, 14 meses depois e a fim de se livrar da pena, resolve se submeter a um tratamento experimental (a técnica Ludovico) que o deixaria incapaz de cometer atos violentos, podendo assim ser posto em liberdade. Só que é na volta pra casa que Alex viverá seu verdadeiro inferno, e aqueles que foram vítimas do ex-drugue terão a oportunidade de se vingar, invertendo-se, assim, os papéis.




TEXTO COMPLETO, CLIQUE AQUI.