No decorrer do documentário Lixo Extraordinário, o artista plástico Vik Muniz tem um propósito em sua mente: transformar com o seu trabalho a realidade das pessoas. Tal propósito passa a ser esclarecido logo no início do filme, de maneira econômica e eficiente, quando o próprio Vik explica que um dos seus trabalhos mais relevantes consistia na fotografia de indivíduos anônimos de uma determinada região onde, numa pós-produção, essas imagens eram transpostas em quadros e as imagens confeccionadas com grãos de açúcar, produto comercializado pelos
próprios indivíduos e profundamente enraizado na cultura daquelas pessoas. A partir daí, Vik Muniz, depois de uma indicação de um amigo, resolve trabalhar com a mesma técnica no Lixão de Gramacho, RJ, usando, neste projeto, elementos extraídos do próprio lixo.



TEXTO COMPLETO, CLIQUE AQUI.