À exatamente oito anos atrás, quando assumiu a direção da praticamente falida franquia cinematográfica de Batman, Christopher Nolan obteve êxito ao conceber um argumento que privilegiava aquilo que as produções feitas até aquele momento sobre o Homem-Morcego teimavam em esquecer ou deixar em segundo plano: o drama humano e profundamente intimista de seu protagonista, Bruce Wayne, ao invés da pirotecnia e do teatralismo que seu alter ego sugeria ou despertava, concentrando-se, assim, em seus personagens e seus ótimos arcos dramáticos, construindo, dessa feita, dois pequenos clássicos: Batman Beggins e The Dark Knight.




TEXTO COMPLETO, CLIQUE AQUI.