Logo no início de Matar ou Morrer, obra-prima do cineasta Fred Zinnemann (dos igualmente inesquecíveis O Homem Que Não Vendeu Sua Alma e A Um Passo da Eternidade), acompanhamos três sujeitos mal-encarados em direção à pequena estação da cidadezinha de Hadleyville e ficamos sabendo de imediato que ambos esperam por um quarto pistoleiro, o temível e imprevisível Frank Miller, um sujeito que já fora preso pelo delegado da cidade e agora quer vingança. Neste momento, num outro ponto de Hadleyville, o delegado em questão, Will Kane (Gary Cooper) acaba de casar com a bela Amy (Grace Kelly, em seu primeiro papel de destaque no cinema) no mesmo momento em que é informado sobre a pretensão dos quatro pistoleiros. Optando por ficar e enfrentar Frank e sua gangue, Will precisa lidar com duas situações: a primeira diz respeito à sua esposa, que opta por seguir viagem sem a presença do marido, e a segundo e mais difícil situação, diz respeito à própria cidade de Hadleyville: de uma hora pra outra, todos os assistentes do corajoso delegado debandam e rigorosamente todos naquela cidade parecem querer ver o delegado longe dali, temendo pelo pior. Assim, a coragem de Will em contraponto à covardia do restante dos moradores passará a ser desenvolvida com maestria pelo roteiro de Carl Foreman e pela excelente direção do ótimo Fred Zinnemann.

PARA LER ESTE TEXTO COMPLETO, CLIQUE AQUI.