Esperar é castigo a mim imposto...
Oh, Deus! Por que eu não o esqueço?
Não rompi, não trai o pacto proposto,
Mas sofrendo aqui eu permaneço.

Qual o meu erro? Pergunto com desgosto.
Se amar demais é crime eu desconheço.
Esperar é castigo a mim imposto...
Oh, Deus! Por que eu não o esqueço?

As lágrimas traçaram vincos no meu rosto...
Diante da corrida do tempo eu esmoreço,
E ao escurecer, depois do sol posto,
Cresce a dor e sabendo que eu amanheço,
Esperar é castigo a mim imposto...

24/11/06.