Choro e meditação

09 de Agosto de 2014 Valdir Gomes Sonetos 623

Senta aqui do meu lado

e olhe para onde agora olho...

Se o vislumbre o deixar fascinado,

Compreenderás porque tanto choro!


Verás que não choro por amor,

Nem choro por aquela abelha que procura uma flor,

Nem pela árvore que sucumbe ao machado,

Ou pelo cão correndo assustado!


Choro pela verossimilidade que é a vida

Que muitas vezes a levamos ao despojo

Quando desvalorizamos a sua essência


Ao se procurar fugir da realidade num artifício

Ao se dizer uma mentira, tomar uma bebida e, na carência 

Resumir a alegria, buscar um banal prazer em um vício.


Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
"Verão na Europa" há 1 hora

Hoje começou o verão Mas todos os dias, são dias de verão O verão na...
joaodasneves Poesias 4


"Maria Emília" há 3 horas

Meu amor Antes de tu nasceres Raramente eu pensava em ti Iria com o pass...
joaodasneves Acrósticos 5


"Sou" há 4 horas

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 5


"Livro sem letras" há 6 horas

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 6


Amor há 8 horas

Quando Jesus diz que aquele que o ama é quem guarda os seus mandamentos, o...
kuryos Acrósticos 7


ESTÁ TÃO ESCURO (poesia infantil) há 10 horas

Está tão escuro Por causa do muro O chão é duro Não bata o nari...
madalao Infantil 7