Vivo perdido entre
palavras e ideias.
Dentro de mim uma alcateia
pede abrigo.

Sofro, mas não digo.
Penso, mas não ligo.
Rimo o limo farto
que se gruda em mim.

Abro as válvulas da imaginação
e deixo jorrar
toda esta emoção...

Que ganhem o mar,
que ganhem o mundo
e me ajudem a me encontrar.

A.J. Cardiais
01.07.2011