Sonhos e ideais

17 de Agosto de 2014 Valdir Gomes Sonetos 306

Nem tudo está perdido!
Abra os olhos, balbucie palavras!
Mova teus lábios, faça um pedido!
Talvez te ouvirão, os presentes!

Alguns riem alucinadamente;
Sem ao menos um grande motivo...
Outros choram copiosamente
Como ensaio ou improviso.

Mas estão ali, enquanto você percebe.
Não fique aí parado, assistindo,
Enquanto teu corpo está inerte!

Levanta-te daí, cante, grite e faça te ouvirem!
Mostre a todos que você não morreu!
Seus sonhos, ideais e sentimentos ainda vivem!

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Mancha de Batom há 2 horas

Você se foi... Agora só resta a mancha de batom num copo, que me faz...
a_j_cardiais Poesias 42


Poesia Impura há 2 horas

Não deixe a poesia pura. Deixe um pouco de gordura e algum resquício de...
a_j_cardiais Poesias 38


REMEXENDO OS GUARDADOS há 15 horas

Entre as páginas amareladas Dum velho romance de amor Guardei a carta pe...
madalao Poesias 11


CLAMOR ( rondel) há 15 horas

Justiça! Vivo clamando aos quatro ventos. Silêncio! Porque resposta eu n...
madalao Rondel 6


OH HOMEM! (rondel) há 15 horas

Oh homem! Teus calores me agitam, E meu corpo fica em estado convulsivo. ...
madalao Poesias 7


E AGORA? (rondel) há 15 horas

E agora? Que podemos fazer? Remediar é coisa que não adianta. O mal f...
madalao Rondel 8