Nem tudo está perdido!
Abra os olhos, balbucie palavras!
Mova teus lábios, faça um pedido!
Talvez te ouvirão, os presentes!

Alguns riem alucinadamente;
Sem ao menos um grande motivo...
Outros choram copiosamente
Como ensaio ou improviso.

Mas estão ali, enquanto você percebe.
Não fique aí parado, assistindo,
Enquanto teu corpo está inerte!

Levanta-te daí, cante, grite e faça te ouvirem!
Mostre a todos que você não morreu!
Seus sonhos, ideais e sentimentos ainda vivem!