Preenchendo Vácuo

15 de Setembro de 2014 A.J. Cardiais Sonetos 274

Escrevo o que brota.
Sou o mal educado
que, quando arrota,
tenta transformar em poema.

Sou o tecido que amarrota
e precisa ser passado
para "aparecer"
bem comportado.

Sou o pecado das letras,
o olho nas gretas,
a língua solta...

Sou o soneto caído,
o poema perdido,
a poesia torta.

A.J. Cardiais

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há menos de 1 hora

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 4


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há menos de 1 hora

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 4


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 1 há menos de 1 hora

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 4


""Ser deficiente, não é o final"" há 20 horas

Nos somos todos iguais, E ao mesmo tempo diferentes, Somos todos normais,...
joaodasneves Poesias 12


"Não sei teu nome, só sei que foi bonito" há 21 horas

Foste embora com o chegar da alvorada não sei nem como te chamas só sei ...
joaodasneves Poesias 9


"Aqui se chama traição" há 1 dia

Esquece-me, como eu te esqueci De ti, não quero nem ouvir falar Não sei...
joaodasneves Poesias 10