A PUTREFAÇÃO DE UM AMOR.

05 de Janeiro de 2012 Wálysson Luan Amorim Sonetos 629

Dentre os olhares da tarde, menina!
Flertei teus olhos unido ao calor
O suor rompia com minha blusa fina
E eu vagando num frio cobertor

Abre-se a noite como uma cortina
Em tom escuro trescalando amor
A veste pura sendo posta em cima
Do sol feroz, ò místico opressor

Após o banho, em ato de alvoroço
Trajando a luzente veste do armário
Eu marcho às pressas para te fitar

Na garganta vil forma-se um caroço
Quando vejo um gesto tão cru e precário
Um amante novo você beijar!

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 21


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 15


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 13


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 15


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 13


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 11