Sigo sempre meu ritual...
O meu tambor
tanto toca para o bem,
como toca para o "mal".

Quando toco para o bem,
é porque quero ir mais além.
Quando toco para “o mal",
quero livrar-me de alguém.

Mantenho duas velas acesas:
uma para minhas defesas,
outra para minha evolução.

Não é contraste não...
É difícil ter certeza,
do que trazem no coração.

A.J. Cardiais
19.06.2011