RESPONDENDO

A bem dizer, jamais eu prometi
Dar-te mais do que um dia tu me deste.
Mas, se insistes que ainda te deteste,
Deseja tu o qu'eu desejo a ti!

Deixa estar, porque desde que parti
Não busco outro consolo senão este
Que à noite mais escura mais me preste
A esquecer enfim tudo o que vivi.

Queira Deus que te não guarde rancores
Ou outra coisa que o valha dos amores
Que outrora para ti eu dediquei.

Onde andará aquele amor d'antanho?...
Não nego que agora isto soe estranho
Tampouco importa, pois, te esquecerei.

Belo Horizonte – 20 05 2005