Soneto Medroso

20 de Junho de 2011 Caetaninho Abe Sonetos 620

Tal adjetivo não é de meu tipo
Insegurança hoje se conquistou
Me ama mesmo como diz que nunca amou?
Cenas chocantes invadem-me sempre.

Grotescas coisas imagino fazer
Dia após dia gritos e fé ajudou
Hoje em noite,medo inibi-me da fé ter
Só me resta da cegueira me livrar.

Cai nos prantos e tremo de frio
Surpresa(tua),cada vez mais estou a amar
Pego meus sonhos;Jogo o medo no rio.

Mãos no rosto coloco,esfrego a visão
Respiro fundo,coragem, rezo a ter
Suplanto(a ele) cessar,do medo,sanção.

Twitter:@caetanoabeltran


Leia também
LUTA ARMADA há 20 horas

LUTA ARMADA Aqueles tidos como imprescindíveis Pelo afã de lutar toda...
ricardoc Sonetos 5


Paz Celestial há 1 dia

Paz na alma é muito mais Do que paz de mente... pois passa desta par...
kuryos Artigos 13


Poema Rosa Para um Dia de Sol há 2 dias

A Rosa Emília A Rosa que an...
a_j_cardiais Poesias 61


Poema Suado há 2 dias

Estou num deserto de inspiração... Nada passa por aqui... Nem ladrão. ...
a_j_cardiais Poesias 50


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há 2 dias

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 22


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há 2 dias

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 16