Soneto Medroso

20 de Junho de 2011 Caetaninho Abe Sonetos 614

Tal adjetivo não é de meu tipo
Insegurança hoje se conquistou
Me ama mesmo como diz que nunca amou?
Cenas chocantes invadem-me sempre.

Grotescas coisas imagino fazer
Dia após dia gritos e fé ajudou
Hoje em noite,medo inibi-me da fé ter
Só me resta da cegueira me livrar.

Cai nos prantos e tremo de frio
Surpresa(tua),cada vez mais estou a amar
Pego meus sonhos;Jogo o medo no rio.

Mãos no rosto coloco,esfrego a visão
Respiro fundo,coragem, rezo a ter
Suplanto(a ele) cessar,do medo,sanção.

Twitter:@caetanoabeltran


Leia também
Minha essência é a eternidade. há menos de 1 hora

Manhã cinza dia tão estranho e ruim, Paira no ar uma sensação de fraca...
elisergio Sonetos 5


LAMPEJOS há 1 hora

LAMPEJOS Eu pouco a pouco volto à realidade. Ao acordar, lamento antes...
ricardoc Sonetos 4


Deixe Esse Amor Crescer há 16 horas

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 32


Ás palavras não são mais meu legado. há 17 horas

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 7


Não há o que comemorar. há 17 horas

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 6


A vida depois daqui! há 17 horas

Ver que a morte não é o fim, é o início! Disse-me com amor chamando de...
elisergio Sonetos 6