De delírios que se pode criar.

10 de Setembro de 2017 Elisergiopoeta Sonetos 56

Todavia, o sol ainda brilhava...
Sempre anunciando um novo dia,
Sem conhecer às noites arrastadas.
Renovando-me a vontade de viver.

Em tantas noites jurei que morria.
Quando o coração passava a acelerar,
A respiração sempre fraca e pesada...
Logo me trazia o grande arrependimento.

De tudo eu que não fui capaz de praticar.
Mas, a sensação de ter ainda o que fazer.
Com muita dificuldade me reanimava.

Sentindo a pulsação em todo meu corpo,
Imaginava-me certamente um louco.
De delírios que um ansioso pode criar.


Uil.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
ALJÔFAR há 10 horas

ALJÔFAR Cintila sobre a face embevecida Essa lágrima só de maravilha...
ricardoc Sonetos 6


UM GULOSO CEGO NO CABARÉ há 10 horas

O homem chega no cabaré e a dona do brega oferece: -Tenho uma mulata e um...
reribarretto Humor 28


EM GRUPO há 12 horas

EM GRUPO Ser mais um entre muitos ou não ser? Eu, para bem ou mal, me ...
ricardoc Sonetos 7


CICATRIZES há 1 dia

As lágrimas não mais caiam, Pois já era um outro dia, Mas, ainda exist...
juniorcampos Indrisos 19


TODO O CÉU VAI TE PERTENCER há 1 dia

Não são só meu olhos que ficam feliz por te ver, meu corpo só sabe te...
juniorcampos Indrisos 14


Ê coração há 1 dia

Ê coração que gosta de bater, Com isso, eu que apanho... Acelera no pe...
juniorcampos Indrisos 10