CLAQUETE

Os fotogramas correm pela fita
Vinte e quatro quadros por segundo...
Por pôr em movimento um outro mundo
Enquanto o olhar lhe finge que acredita.

Na tela, a vida é muito mais bonita
E até o quotidiano mais profundo.
Ora imperador; ora vagabundo,
A personagem segue a sua escrita.

Quando a imagem e o som em sincronia,
Na montagem dos rolos da edição
O encanto do cinema acontecia:

É tudo de mentira... Outra ilusão
De quem projecta luz mais fantasia
E ao baque da claquete diz: --"Acção!".

Betim - 12 11 2017