Nervos Fracos

24 de Junho de 2011 Caetaninho Abe Sonetos 972

Sinto-me fraco e aleijado por ofensas,
Indefeso pelos atrozes verbos,
E em pé na frete da multidão,
Só faz notar a ausência emoção.

E em papeis fétidos redigem,
Humilhadoras palavras transformadas,
Futuramente em prantos e gritos,
E nessa hora amores são mitos.

Na espreita dos versos acalmo minha
Essência; e exerço e modelo a paciência.
Apesar da anarquia entrar em atrito.

Levanto e fujo da multidão gélida
Deixo que alimentem seus medos
E enfatizem sua parcela plebéia.

@opequenocaetano


Leia também
Obedecendo o Vento há 9 horas

As folhas caem, e eu quero falar sobre isso, sem me preocupar com o feiti...
a_j_cardiais Poesias 26


"Verão na Europa" há 11 horas

Hoje começou o verão Mas todos os dias, são dias de verão O verão na...
joaodasneves Poesias 5


"Maria Emília" há 13 horas

Meu amor Antes de tu nasceres Raramente eu pensava em ti Iria com o pass...
joaodasneves Acrósticos 7


"Sou" há 14 horas

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 7


"Livro sem letras" há 16 horas

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 8


Amor há 17 horas

Quando Jesus diz que aquele que o ama é quem guarda os seus mandamentos, o...
kuryos Acrósticos 8