Sem Classificação

07 de Abril de 2018 A.J. Cardiais Sonetos 170

Não sei que poeta eu sou...
Não me classifico,
nem me justifico.
Deixo a batalha ao léu...

Talvez eu seja
o poeta dos precipícios,
dos hospícios
ou das quinquilharias...

Tento tirar o poema do pó,
ou o pó do poema,
batendo no sistema...

No meio da poeira
a palavra espancada,
sai dizendo besteira.

A.J. Cardiais
03.10.2016

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Traços Mudados há 1 hora

O tempo passou, e eu nem percebi... Meus Deus, o que mudou? Envelheci. ...
a_j_cardiais Poesias 24


Queimando os Últimos Cartuchos há 1 hora

Sinto que estou queimando os últimos cartuchos... Estou chegando ao fim....
a_j_cardiais Poesias 24


"Posso ser o poema" há 4 horas

Barcos que navegam, ao luar, as imensas ondas do mar até as nuvens lá n...
joaodasneves Poesias 5


"Vi em ti" há 12 horas

Em ti eu vi o sol, o mar senti o vento aprendi a viver, soltei o sentime...
joaodasneves Poesias 6


"Tenho" há 12 horas

Tenho amor para dar Paixão para receber Sei perdoar, mas não posso esq...
joaodasneves Poesias 8


"Queria ser o mar" há 13 horas

Queria tanto ser o mar Te abraçar com as minhas ondas Te desejar na arei...
joaodasneves Poesias 7