FRANCO-CANADENSE

Desenharam um país de costa à costa
À revelia então de quem se importe:
Era a província entregue à própria sorte,
Enquanto d'além-mar buscam resposta...

A paz que pelas armas foi imposta
Por britânicos e yanques lhe conforte
Se nem a independência e nem a morte
À suave flor-de-lis por fim desgosta.

O grande norte branco se conquista
No meio da corrida imperialista
À Passagem Noroeste indescoberta!

Mas a gente que estava no caminho
Em face de interesse tão daninho
Da própria identidade viu-se incerta...

Betim - 22 04 2018