AFRO-AMERICANO

Terra da Liberdade, a Norte-América
Tornou republicana a escravidão:
A todo "homem de cor", honesto ou não,
Fez a face da lei sempre colérica.

A livre iniciativa, algo quimérica,
Se lhe parece ao fim a exploração
D'esse país que se crê grande nação,
Embora a negra face cadavérica...

A África qu'ele traz em sua pele
E a América qu'ele tem por sob os pés
Inconciliáveis são aos olhos d'ele.

Mas, a um só tempo síntese e revés,
A sua resiliência ao fim revele,
Da História dos vencidos, o outro viés.

Betim - 23 04 2018