Não há o que comemorar.

25 de Abril de 2018 Elisergiopoeta Sonetos 14

Não há de fato o que comemorar!
A virgem do sertão não é independente.
Sofremos com uma alternância de poder,
Gestores roubando a esperança da gente.

É que o povo em si não é contente,
Padece dividido sem escolha pra mudar.
A cidade parou há várias décadas,
Mas a ganância está sempre a aumentar.

Parece não haver futuro nem jeito!
Pois a cada ano de qualquer governo,
O parnaramense sofre sem protestar.

E de sempre tão oprimido e calado,
O povo passa por maus bocados!
E isso não é motivo para festejar.

NUNES, Elisergio.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
VÊNUS VETUSTA há 1 hora

VÊNUS VETUSTA O Tempo tudo nos muda, Deteriora, envelhece... Nunca a ...
ricardoc Acrósticos 5


SÓ PARA DIZER BOM DIA. há 6 horas

Fiz ao nascer da alva, Sob a luz que o sol irradia, Estes versos vindos d...
madalao Poesias 7


DEIXA-ME NO TEU VENTRE há 6 horas

Deixa-me, no teu ventre, eu ficar, Neste ninho de amor tão quentinho. L...
madalao Poesias 7


Equação do Amor há 2 dias

Corre pra mim... Talvez eu ainda não saiba o que é o amor; Não tenha ...
a_j_cardiais Poesias 52


Qual é a Nossa Parte? há 2 dias

O conceito arminiano de que devemos fazer a nossa parte para que Deus pos...
kuryos Artigos 12


"Lagrimas" há 2 dias

Um silêncio triste e profundo Uma lágrima caiu Na tarde fria, e escura ...
joaodasneves Poesias 12