LAMPEJOS

Eu pouco a pouco volto à realidade.
Ao acordar, lamento antes o sonho perdido,
Que o sono bruscamente interrompido:
Sim, outra sensação pela metade...

É bem como se alguma alteridade
Se colocasse diante do sentido
E me perdesse vago em meio ao Olvido,
Ao quase revelar d'uma verdade.

D'olhos abertos, cerra-se minh'alma.
Permanecem imagens interiores...
Talvez reminiscência ou mesmo trauma.

Já segue o quotidiano e seus rigores.
Ainda qu'eu, por sob a face calma,
Passe o dia à procura d'esplendores.

Betim - 26 04 2018