A Segunda Decepção

26 de Outubro de 2013 Valdir Gomes Sonetos 340

Quando te conheci,



você não me conhecia.



De você a mim, o afeto vinha se
aproximando;



e a você, meu afeto aproximando ia.





Ressaltado, te mandava um sinal.



E você, com outro sinal, me
correspondia...



Pressenti que nada obscuro de você a mim
restava;



então percebi que nada escuso entre nós
existia.





Com um toque de mão te acariciava...



E você me correspondia com outro toque
de mão.



Entretanto, uma dúvida sobre mim
pairava,





Quando, de cima abaixo, olhei até o
chão:



um senhor, das sombras, nos espreitava!



Descobri que eras casadas; eu, não!

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 21


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 15


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 13


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 15


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 13


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 11