FOME

09 de Novembro de 2013 selda kalil Sonetos 1037

FOME
(Selda Moreira Kalil)

Quando não se tiver mais nada
Bagunça astrológica, escolhas sinistras.
Entre o chão e a escada
Comida na mesa, rastreada a pobreza.

Quando deveria ser o que de fato não é
A maré fica baixa
Nada se tem,nada se leva
Um Deus nos acuda, sem dinheiro no caixa.

Quando há espinhos fincados
Panelas vazias, corações acanhados.
Saúde escassa, fome soprando na beira da estrada.

Quando pensar que morreu
Jesus estará no seu leito a orar
Dividindo o seu pão que lhe veio a faltar.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Circunstâncias há 5 horas

Não quero me perder, procurando a perfeição... Ser perfeito em quê? ...
a_j_cardiais Sonetos 30


"A maldade" há 16 horas

De que me serve escrever, inventar, sonhar sem pensar No meu interior me a...
joaodasneves Poesias 7


"Não sei" há 1 dia

Hoje tenho vontade de rir Mas também tenho vontade de chorar Ja nem sei ...
joaodasneves Pensamentos 5


Domínio do Pecado ou da Graça há 2 dias

Se é impossível não pecar enquanto estivermos neste mundo, por que J...
kuryos Mensagens 16


Ventinho Delicado há 2 dias

Uma mulher passa com seu rebolado... Um ventinho delicado faz seu vestid...
a_j_cardiais Poesias 48


Mortos Vivos, Vivos Mortos há 2 dias

O que é viver? Tem gente que tem tudo, e não se sente feliz... Fica as...
a_j_cardiais Poesias 47