Sem dormir eu escrevo.

09 de Novembro de 2013 Elisergiopoeta Sonetos 306

São tão várias e tantas
As vezes que escrevo
Que na noite fico a mesa
Pondo no papel o que é feito

Depois de tanto pensar
É hora da fiel caneta usar
Fazer saber o que há no peito
Isso sempre nas madrugadas

Nas quais creio eu são feitas
Para se pensar na amada
Tentando assim existir

Por isso tanto escrevo
Só desse modo esqueço
Que não consigo dormir.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
O ESQUELETO DE PINGUIM - O Homem do Saco e Outros há 3 horas

O ESQUELETO DE PINGUIM - O Homem do Saco e outros Contos -- "Hoje eu vi ...
ricardoc Crônicas 6


"Que bonita mulher" há 7 horas

A luz do teu olhar, a boniteza da tua face, o brilho do teu sorriso, ...
joaodasneves Homenagens 8


À LUZ DE LAMPIÕES há 7 horas

À LUZ DE LAMPIÕES (rondó) E se, por uma rua escura, Luzindo em minha...
ricardoc Poesias 7


Pelo Espírito há 13 horas

Nada do que Jesus cita no Sermão do Monte nos capítulos 5 a 7 do evangelh...
kuryos Acrósticos 6


A Linha da Vida há 15 horas

O futuro é daqui a pouco, mas talvez não possamos vê-lo. A vida é com...
a_j_cardiais Poesias 33


Obedecendo o Vento há 1 dia

As folhas caem, e eu quero falar sobre isso, sem me preocupar com o feiti...
a_j_cardiais Poesias 43