Ó senhora
natureza quantas belezas tu tens:



Do infinito
ao infinito sois a mais bela e graciosa:



O verde de
tuas matas me colore os olhos:



Os espelhos
de tuas águas refletem os belos jabotis:



Que se alimentam
em cima de suas gigantescas arvore:



Cuja suas
gigantescas copas folhadas nos servem como abrigo



Ò senhora
natureza quantas belezas tu tens:



Do infinito
ao infinito sois a mais bela e graciosa:



Os seus
imensos mares fazem-me perder de vista a sua imensa beleza:



Não há com
palavras descrever ti, pois sois imensa e imponente: