Pós-Anno-Dominni

02 de Janeiro de 2014 Pr CJJacinto Sonetos 295

Entre laços de sentimentos carentes

triste humanidade dividida nesse mundo

uns choram a chegada do ano novo

outros em leitos de morte, choram a despedida

Entre os nós da senda incomparada

triste lacrimejar desses infortunos ritos vitais

a flor que é dada para a mãe em uma maternidade

é a mesma que consola os filhos em funerais

Entre apertos das cordas que amarram a vida

somos seres que choram e se alegram

quando as ansias são soltas em desvarios

é que com o aperto das circunstancias existenciais

a festa que é fogo de tanta alegria

deixa no homem, em seguida, o coração completamente frio

CJJ


Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 21


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 13


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 11


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 14


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 12


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 11