E o mar segue adiante em seu bravo rumor

Buscando os sonos cobertos de sombras imperfeitas

entre vales lindos de sombras aconchegantes

nas trilhas rasgadas por taças quebradas


Derramastes esse aroma de amor tangerina

nas varandas do ermo do tédio que aponta pra cima

castelos de gelos erguidos em lampadas acesas

suportando os devaneios de sabios  desconsolados


A ausencia de nevoas tranquiliza o coração

esse é o sentido exato da vida tão perene

garras de folhas em apriscos solenes


E eu vagando por espinhos que perfuram afeições

todo confuso, como a  marcha das ondas na areia

acordo pro sono de tantas coisas sonambulas.

CJJ