Chávena de lamentos

01 de Fevereiro de 2014 Pr CJJacinto Sonetos 324

Caem as lagrimas da chávena dessa noticia amarga

Como orvalho de tristezas jogadas a sete ventos

imersos na noite passada que o destino traçou pra nós

ouçamos o  fiel lamento das flores da laranjeira


Caem os soluços como terremotos do coração

dores internas como convulsões da alma aflita

ansias de magoas de um coração materno partido

untando a vida com copiosas gotas de lamentações


Em coro a orquestra da familia semeia a dor

Abraços e apertos e a troca de argor

como vinho de fel, que sufoca a mente coalhada


É a vida e seus mistérios escondidos no amanhã

e nós apenas olhamos para a nevoa da existencia

desdobrando o nosso manto soturno, sonhamos o esquecimento.


Clavio Juvenal Jacinto

>Soneto escrito após a noticia do falecimento de um ente querido

Dia 1 de fevereiro de 2014.....


Leia também
ETERNAL (rondó) há 7 horas

ETERNAL (rondó) Não o poeta, sim a poesia Em cada verso haveria- De ...
ricardoc Poesias 5


Sintomático há 12 horas

Divagando pela favela, penso nela olhando a aquarela do sol se pondo. ...
a_j_cardiais Sonetos 37


"Minha humilde casinha" há 2 dias

Tenho na minha casa Quatro cadeiras e um colchão Uma mesa, e roupas pelo...
joaodasneves Poesias 18


Se Poema For Oração há 3 dias

Senhor, este poeta perdido vem Vos fazer um pedido: dai-me Vossa paz. ...
a_j_cardiais Poesias 78


"Bailei com a solidão" há 3 dias

"Bailei com a solidão" A beira do mar espero a Solidão E escuto ja o ...
joaodasneves Acrósticos 16


Perseverar Até o Fim – Parte 1 há 3 dias

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892) Traduzido, Adaptado e Editado por Si...
kuryos Artigos 31