Perdidos e Achados

05 de Fevereiro de 2014 Pr CJJacinto Sonetos 292

Procura-se um amparo perdido entre as correntes de um rio seco

um par de sonhos frouxos num paladar de amendoas maduras

procura as duas estrelas porque das tres marias faltam uma

um sossego para revestir e cimentar a tranquilidade da vida nublada


Procura-se sementes de coentro e o mel doce do paladar

as agulhas na areia, que o vento levou das ampulhetas quebradas

as helices esfericas da ultima inspiração que arrebata os sentidos

as gotas da chuva congelada que despertaram o inverno tardio



No campo da vida entre perdidos e tantos achados

perdeu-se o sorriso de veludo e as capas de um livro sagrado

e o mardas audacias e todos os seus causticos pecados



No fim do mundo e no começo de todas as coisas

tudo se procura, e tudo tem sua essencia de importancia

mas de tudo o que se perde, que a prioridade seja achar a esperança


Clavio juvenal Jacinto

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Minha essência é a eternidade. há 9 horas

Manhã cinza dia tão estranho e ruim, Paira no ar uma sensação de fraca...
elisergio Sonetos 6


LAMPEJOS há 10 horas

LAMPEJOS Eu pouco a pouco volto à realidade. Ao acordar, lamento antes...
ricardoc Sonetos 7


Deixe Esse Amor Crescer há 1 dia

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 37


Ás palavras não são mais meu legado. há 1 dia

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 8


Não há o que comemorar. há 1 dia

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 7


A vida depois daqui! há 1 dia

Ver que a morte não é o fim, é o início! Disse-me com amor chamando de...
elisergio Sonetos 9