Querida lua, te escrevo essa carta de lamentações

porque o amor aos poucos aqui vai se acabando

como nuvens passageiras que saem de seus ninhos

como velas desgastadas que estão se apagando


Tu outrora inspiravas namorados com teu meigo luar

hoje te enxergam como uma lampada quase apagada

nas ruas, crianças não olham mais pra te admirar

já quase não há mais impressão, de que nos segues na estrada


Mas ainda estou aqui aos breves prantos,desabafar

porque ainda daquela velha emoção, tenho um pouco

apesar de que para muitos já seja um poeta louco


Mas nessa loucura de te ver e admirar em contemplação

surge na foz poente de meu caudaloso e quieto coração

A vontade de dormir em teu semblante, e sonhar sereno.


CJJ