Parece que foi ontem, que vi

Os campos cheios de geada

Meus brinquedos de natal

Minha face de criança corada


Me olhando no espelho e sonhando

Com o dia em que iria crescer

Pra ter a minha sonhada liberdade

De meus pais não mais depender


Então cresci, e nem percebi

Que minha infância passou

O nó do tempo se desatou


Hoje, olhando-me no espelho, senti

A vontade de no tempo voltar

E aos braços de meus pais, me amarrar....


Clavio J. Jacinto