De loucura eu agora padeço
Há um monstro dentro de mim
Que muda todo o meu jeito
De tanta insegurança feneço

Prefiro morrer a sentir isso assim
Toda essa minha desconfiança
És de verdade uma ida sem volta
Mas, de fato sem minha vontade

Porque isso nunca fora de mim
E se foi eu agora desconheço
Todo esse ciúme não veio de berço

Pois desconfiar de quem se ama
És uma loucura sem fim
É se olhar e se ver em um espelho.