Olhai, e verá que já feneço!
Tenho agora o olhar roxo,
Todo o meu sorriso é seco
Eu já não mais adormeço.

Vem com às noites, solidão.
E também todos os tormentos,
É de cansar o quanto penso
Sou agora um jovem ancião.

A juventude já não me reconhece,
Todas às vezes que de mim esquece
Ergo-me junto com o sol, e sem visão.

Sua luz me atinge como alto farol
Ficar sem dormir não só é problema
É também a pior sensação.