Horizonte cinza (Soneto V do fracasso)

11 de Agosto de 2011 Wellington Calcagno Sonetos 568

Da árvore inerte de agudos galhos
Brotam dores, inerentes d’outrora
Por toda vida, a qual ignora.
O néscio, que o sonho é retalho.

Tem por suas, as escolhas tão errantes
Que recebeu o fracasso por herança,
O céu composto por intemperança
Escala cinza a cingir tons vibrantes.

A aura falha d’amor se cala ao longe
Em vergéis secos por falta de fonte.
Apagar d’olhos opacos e fundos

Traduz o pensar de seus neurônios,
Linhas tortas geradas do carbono
A constituir seu encéfalo obtuso.




Duque de Caxias, 11 de maio de 2010.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 14


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 11


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 10


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 11


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 11


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 10