Meio

27 de Setembro de 2012 josué Teoria Literária 613

Meio

Entre o inspirar (nascer) e o expirar (morrer) há demarcações tais que, se avisados, não avançaríamos um passo sequer, ou desfolharíamos os entremeios buscando antecipar o por vir; pois há etapas do iirrr que a soma dos trechos mais floridos, não valem por um só caminhar nos espinhos. No percorrer os trilhos da busca, somo expostos às arenas da vida sem o manual de saídas, e tontos, veredamos num tatear abstrato, com um farejar inodoro, tentando sentir o insípido, pelejando seguir as pegadas do tempo, rumo ao que pensamos ser o nosso complemento. Movidos pela força da parte que nos falta, por vezes saciamos nossa ânsia com águas temporárias pensando correrem da fonte; mas com o esvair do córrego, volta o vazio e, com ele, desfigura-se a ilusão.


Leia também
O BURACO há 3 horas

O menino corria, empurrado pelo vento, empinando a pipa que o pai fizera p...
madalao Mensagens 9


UM GATO NO ESPELHO há 18 horas

Um gato, parado diante do espelho do quarto de sua dona, discutia com...
madalao Infantil 17


Tudo junto e misturado há 1 dia

Tudo junto. Misturado. Animado. Apaixonado. Completamente dado e entreg...
anjoeros Poesias 17


Quando senti vontade de amar... há 1 dia

Prefiro ser acusado de amar demais do que ser reconhecido por ser aquele q...
anjoeros Poesias 11


Meu café há 2 dias

UM CAFÉ SEMPRE CAI BEM...ANTES DO ALMOÇO,DEPOIS DELE... TE FAÇO UM CA...
anjoeros Poesias 16


Ao pé do ouvido há 2 dias

Vem cá, menina... Deixa eu te falar, bem lá dentro do teu ouvido, tudo ...
anjoeros Poesias 17